Boca x River Plate: Jogo explosivo, perigoso e emocionante. Será que acaba?

A Polícia Argentina está mobilizada. O presidente Macri, ex-presidente do Boca, está preocupado com a violência das torcidas organizadas dos dois times. Primeiro jogo neste sábado, em La Bombonera, só terá hinchas da casa. No jogo da volta, no Monumental de Nuñez, que é disparado o melhor estádio da Argentina, somente os hinchas dos Milionários.

Como homem que nasceu no futebol, Macri sabe o que significa esse disputa. Se no Campeonato Argentino já é infernal, na disputa inédita de uma Libertadores, os nervos se afloram ainda mais. Não é só futebol, é disputa por uma posição política e meio de vida. O povão é Boca e os mais aquinhoados são River Plate.

Haverá cobranças e reclamações de quem perder e loas eternas aos vencedores. Se der Boca, muitos dirão que foi por causa do presidente do país. Se houver erro de arbitragem, então, sai de baixo. O prejudicado irá até o Vaticano para demonizar o vencedor.

Há uma chama explosiva no ar. O pavio é curto demais. Não sei se o jogo acabará no campo. Os dois times historicamente já se engalfinharam em guerras monumentais, sem nenhuma analogia com o nome do estádio do River. Já houve provocações gratuitas de todos os lados.

Espera-se que alguém de bom senso comece a baixar o fogo para que tenhamos um jogo histórico como se propõe e uma final de Libertadores digna do currículo dos dois grandes times. É o típico jogo que eu gostaria de cobrir como repórter, mas não sei se seria uma boa aparecer na arquibancada como torcedor. É preciso cuidados especiais, mesmo que fosse neutro nesse caso.

Que o árbitro chileno Roberto Tobar faça a melhor atuação da sua vida. Que o VAR seja usado com discrição e honestidade e que seja mesmo um grande jogo. É a última vez, pelo menos por enquanto, que a decisão da Libertadores será em dois jogos. No ano que vem será num jogo único na bela Santiago do Chile. Tomara com presença brasileira, mas até lá só resta esperar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *